Swift

Israel não desistiu e vai mandar uma nova sonda para a Lua: Beresheet2.0


A Beresheet, cujo nome significa “gênese” em hebraico, foi a primeira espaçonave israelense a chegar na Lua. A missão foi lançada em 21 de fevereiro em um foguete SpaceX Falcon 9 e sobreviveu a uma falha técnica para chegar onde está agora. O módulo estava equipado com câmeras para fotografar a superfície lunar e fazer alguns testes. Infelizmente, quando estava para pousar, houve uma pane e a nave colidiu com a superfície.


Primeira nave de Israel não conseguiu!

A foto acima, tirada pela NASA, mostra o local de pouso da nave espacial israelense Beresheet em uma região da lua chamada mar da serenidade, ou Mare Serenitatis em latim.
Em 11 de abril de 2019, SpaceIL, uma organização sem fins lucrativos, tentou pousar a sua nave espacial neste antigo campo vulcânico. Após uma descida inicial praticamente normal, a  Beresheet se descontrolou e finalizou a lunissagem de forma muito dura chocando-se contra a superfície lunar.

O fracasso da primeira missão não desanimou os cientistas israelenses que já estão preparando a versão 2.0 da Nave Beresheet.

Morris Khan - Empresário israelense que está por trás do projeto disse outro dia que o fracasso faz parte e que ele serviu para que os cientistas aprimorem o mecanismo da sonda na versão 2.0 que irá pousar na Lua.

Nave de Israel falha na alunissagem

"Tivemos uma falha na aeronave. Infelizmente, não conseguimos aterrar com sucesso. Somos o sétimo país a orbitar a Lua e o quarto a chegar à sua superfície", informou um dos chefes de missão. O equipamento israelita atingiu a superfície, mas não de uma forma controlada ou "suave"

Uma pequena sonda especial colocou Israel em estado de grande excitação. A Beresheet foi levada ao espaço por um foguete da Space X – o Falcon X. Mas, o foguete só a levou até um pedaço do caminho – mais ou menos metade da distância e, principalmente, o pouso na Lua precisariam ser completados pela sonda autonomamente. Na tarde de 11 de abril, a missão chegou a seu auge, quando a sonda tentou pousar em solo lunar.

Centro de Controle da Missão Israelense

Israel conseguiu tornar-se no quarto país a chegar à superfície da Lua, embora não tenha aterrado com sucesso. A sonda Bereshit, lançada a partir da Florida a 22 de fevereiro, teve várias falhas
técnicas a momentos de atingir a superfície lunar, quase dois meses depois de ter iniciado a sua viagem.


Anúncio foi feito pelas redes sociais


Milhões de israelenses e também pessoas de diferentes partes do mundo acompanharam a tentativa que, infelizmente, acabou não sendo bem-sucedida. Na aproximação final do solo lunar, a Beresheet teve problemas com o motor principal e também problemas de telemetria e comunicação. Com isso, os cientistas no centro espacial israelense não mais conseguiram recobrar o controle, e a sonda acabou se espatifando no solo lunar. Ainda que a missão não tenha sido um sucesso completo, os israelenses comemoraram o feito – afinal apenas 3 países conseguiram até hoje fazer pousar objetos no solo lunar: os Estados Unidos, a antiga União Soviética e a China. Agora, Israel se juntou ao seleto grupo de 7 nações, ou grupo de nações, que conseguiram pelo menos colocar um objeto em órbita da Lua. Além de Estados Unidos, União Soviética e China, apenas o Japão, a Índia, a União Europeia, e agora, Israel alcançaram o feito. Beresheet significa Gênesis em hebraico e, ainda que não tenha completado sua missão, abriu uma nova fase para a exploração espacial israelense.

Astronautas fizeram caminhada espacial de 6,5 horas!

Os astronautas russos Oleg Kononenko (traje com listras vermelhas) e Sergey Prokopyev (traje com listras azuis) trabalham fora da Estação Espacial Internacional, a mais de 400 quilômetros da Terra para inspecionar a espaçonave Soyuz MS-09. Foto Arquivo.
Créditos: NASA

Dois cosmonautas russos veteranos se aventuraram fora da Estação Espacial Internacional numa uma caminhada espacial, para recuperar experimentos científicos e realizar manutenção no laboratório em órbita. O comandante Oleg Kononenko da Expedition 59 e o engenheiro de vôo Alexey Ovchinin fizeram uma caminhada espacial que durou 6,5 horas.


Dragon SpaceX atraca com sucesso na Estação Espacial!!!

O Dragon SpaceX decolou da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral em 4 de maio de 2019 e seguiu para a Estação Espacial Internacional.
Créditos: NASA

Após o lançamento às 2h48 de sábado, a nave de carga SpaceX Dragon atracou com sucesso na Estação Espacial Internacional, com aproximadamente 5.500 libras de carga e investigações científicas da NASA, incluindo pesquisas sobre o ciclo de carbono da Terra e a formação de asteróides e cometas.
A espaçonave foi lançada em um foguete Falcon 9 do Complexo de Lançamento Espacial 40 na Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida, e chegou ao seu destino no dia 6 de maio. Dragon se juntou a outras cinco espaçonaves atualmente na estação.


NASA revela novos sons do Planeta Marte!

InSight Lander da NASA capta áudio do primeiro "quake" em Marte

O fraco sinal sísmico, detectado pelo instrumento Sísmico de Experimentação para Estrutura Interior (SEIS), foi gravado em 6 de abril de 2019, dia marciano 128º, ou Sol. Este é o primeiro tremor registrado que parece ter vindo de dentro do planeta. Os sons anteriores foram causados por forças acima da superfície, como o vento. Os cientistas ainda estão examinando os dados para determinar a causa exata do sinal.

Este vídeo e áudio ilustram um evento sísmico detectado pelo Mars InSight Rover da NASA em 6 de abril de 2019, o 128º dia de Marte, ou Sol, da missão. Três tipos distintos de sons podem ser ouvidos, todos detectados como vibrações do solo pelo sismógrafo da espaçonave, chamado de Experimento Sísmico para Estrutura Interior (SEIS): ruído do vento marciano, o próprio evento sísmico e o braço robótico da espaçonave ao tirar fotos.
Créditos: NASA



"As primeiras leituras da InSight vem se somar aos dados que coletamos desde as missões Apollo da NASA", disse Bruce Banerdt, do Investigador Principal da InSight, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (JPL), em Pasadena, Califórnia. “Nós estamos coletando ruído de fundo até agora, mas este primeiro evento oficialmente dá início a um novo campo: sismologia marciana!”

O módulo InSight pousou na superfície do planeta em 19 de dezembro de 2018. Ele permitirá aos cientistas coletar dados semelhantes sobre Marte. Ao estudar o interior profundo de Marte, eles esperam aprender como outros mundos rochosos, incluindo a Terra e a Lua, se formaram.

0 comentários